FOTOCÓPIAS

Por Fabio R

Outro assinou pelos livros,
Que de meus monólogos haveriam de saltar!
No chão já não provém mais abrigo,
Árvores que mi’as mãos deveriam cultivar
!

E pelo que não criamos,
E pelo que não zelamos,

Somos relés fotocópias!
Duma imperfeição imperativa,

A esmaecer no calço das repartições….

Na indisposição funcional do atendente
Um desapreço pela graça do sustento!
Em sua pele o cancro sobressalente
No abandono,toma posse do sujeito!

E pelo que não agradecemos,
E pelo que não remediamos,

Somos moldes em barro!
Trincados em vestes grosseiras,
Exclusos de qualquer admiração….

Por parte do ceramista,
Por parte da clientela,

Em parte pelo que não notamos,
Em conjunto pelo que não queremos!

Em todo pelo que não fazemos,
Em tudo pelo que não desculpamos!
**********************************************************

Dedicado ao “Erva Daninha” Álvaro de Campos(Fernando Pessoa)

Anúncios