O RIO

O Rio 

Rolou uma gota,

Solitária e pequena,

Correndo suave e serena,

E, antes que pudesse secar,

Outra se pôs a rolar.

 

E desde aquele instante,

A água tornou-se constante,

Onde havia o vazio,

Passou a correr um rio.

 

O rio que corre é incessante,

Um rio de águas turvas,

Que do CORAÇÃO ao semblante,

Rompe as retas e as curvas.

 

E, quando secarem se as águas,

Persistirá o rio das MÁGOAS

ED SILVA – SP -15/07/2005

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s