O dia em que Augusto dos Anjos me inspirou

Rompo os nós
Desconstruo esse mito
De que mulher é amor, docilidade e delicadeza
Que comporto em mim uma ética do cuidado inerente à minha condição de fêmea
E retira de mim, na mesma medida, a sujeira, o forte, o grosso, o insensível
Sou eu também tesão e ódio
Não querer ser deus,
Não sou à sua imagem e semelhança
Também não desejar ser Maria
Postar-me como sempre virgem, submissa e com os olhos voltados para baixo
Questionarei a bíblia e o seu mito do paraíso perdido
A mulher como a imagem do diabo
Elevarei meu pensamento para meu umbigo
E parirei dele uma placenta com uma flor dentro
Cagada, medrosa e sem pétala
Que feia e desidratadaMal nascia e já morria
Seu fôlego foi tão intenso
Que desaprendeu a respirar
Seu primeiro suspiro se tornou também o seu último
E ela viveu como ninguém jamais devera ter vivido.
Nesse mundo de crises, guerras, machismos, muitas outras cagadas e flores artificiais
Não desejo ser essa flor
Tampouco o cravo que a despetalou
Desejaria ser simples e intensamente
Esse sopro de vida que não sou.

21/06/2004)

Anúncios

Um pensamento sobre “O dia em que Augusto dos Anjos me inspirou

  1. Olá Sheila,
    o que chama, ao me ver, a atenção na obra de Augusto dos Anjos, além do seu cientificismo, e a capacidade dele se assumir como um ser limitado, mas de maneira alguma um “vencido”,como ele mesmo se referia, pois conseguiu manter a “sanidade” mesmo após tantas tragédias.
    O seu poema remete me a isso, pois descreve conflitos e idealiza de cereta forma soluções,pois em nenhum momento o eu lírico assume “não a nada a fazer …a não ser a saída do suícidio”.Que poderia tanto ser cogitada nos textos do poeta paraíbano, como no seu texto.

    Para finalizar gostaria de deixar um link a respeito da Obra de Augusto dos Anjos, que também é um livro a respeito de seu processo de composição,aqui no link só um aperitivo do livro, cujo tive a oportunidade de ler.O que impressiona mais é que o sujeito fazia tudo aquilo de cabeça.

    Ensaio de Horácio de Almeida a respeito de Augusto dos anjos.”O artesanato de Augusto dos Anjos”

    http://www.secrel.com.br/jpoesia/augusto16.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s